Follow by Email

QUEM SOMOS

ONG voltada ao estudo, pesquisa, divulgação da bioética como uma ética da vida aplicada a todos os campos com uma visão multidisciplinar. Defendemos a biodiversidade, meio-ambiente, desenvolvimento sustentável, as diversidades culturais e sociais, objetivando integrar tudo num pensamento genuinamente latino-americano e buscando soluções.

MISSÃO

MISSÃO

A promoção de atividades de documentação, informação, pesquisa, ensino - aprendizagem, conselhos e desenvolvimento institucional do biológico, cultural e social, de forma coordenada e cooperativa através de projetos de parceria nessas áreas no Brasil e América, e promover a cooperação internacional para esses fins com outras regiões culturais tudo dentro de uma visão transdisciplinar.

sábado, 28 de julho de 2012

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOLEDADE

A Pró-Diversitas na pessoa do seu presidente participou na audiência pública realizada pelo Fórum Democrático da Assembleia Lesgislativa do estado em Soledade no auditório da Universidade de Passo Fundo (UPF) para tratar do tema Pedras Preciosas e Desenvolvimento Sustentável, sendo essa audiência parte da programação do Grupo Executivo de Acompanhamento de Debates (GEAD) das Cadeias Produtivas e Arranjos Produtivos Locais (PPL) do qual o presidente da pró-diversitas é coordenador.

Segue parte da notícia a respeito como divulgada pelo site da assembleia legislativa, e de lavra da jornalista Marinella Peruzzo - MTB 8764

Três palestras embasaram os debates da manhã: dos professores Juliano Tonozer da Silva, da Universidade de Passo Fundo, e Léo Afraneo Hartmann, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e do representante do Sindipedras Marcos Vinícius Donaduce.

Primeiro a se pronunciar, o coordenador do Centro Tecnológico de Pedras, Gemas e Joias do Rio Grande do Sul, Juliano Tonozer da Silva, da Universidade de Passo Fundo, abordou o tema “APL de Pedras, Gemas em Soledade: ações desenvolvidas, em andamento e em análise”. Segundo ele, desde 2008, mais de 500 pessoas foram capacitadas em cursos promovidos pelo Centro Tecnológico, pelo Senai e pelo Sebrae. O professor citou uma série de projetos e estudos em andamento na universidade e no Centro Tecnológico e relatou a situação das empresas do setor na região. Mais de 100 empresas, conforme ele, teriam assinado Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) para regularizar sua situação na questão ambiental. Ele também descreveu os convênios firmados no âmbito do programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais.

O professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Léo Afraneo Hartmann, graduado em Geologia pela Universidade Harvard e membro da Academia Brasileira de Ciências, discorreu sobre minerais estratégicos e geologia da região do Alto da Serra do Botucaraí, citando diversos estudos em andamento na universidade.

Representando o Sindipedras e a Associação Comercial e Industrial de Soledade, Marcos Vinícius Donaduce atribuiu as dificuldades enfrentadas hoje pelo setor de gemas e joias a políticas desfavoráveis ou a inexistência de políticas para o setor, taxa cambial desfavorável, custos operacionais elevados, crises econômicas internacionais, problemas de licenciamento ambiental, audiência de política sistemática de apoio a pesquisa e desenvolvimento de tecnologia e equipamentos. Entre as demandas do setor, que foram apresentadas ao governo estadual, estão a flexibilização das normas de utilização dos créditos de ICMS, ampliação dos poderes da municipalização nos procedimentos de licenciamento ambiental, maior acesso ao microcrédito e ampliação do Programa Estadual de Apoio aos APLs. O sindicalista também pediu o apoio da Assembleia Legislativa para os pleitos do setor junto ao governo federal: maior acesso a linhas de crédito, flexibilização nos critérios de análise de crédito e maior aporte de recursos ao Centro Tecnológico.

No espaço aberto às manifestações da plateia, foram relatadas dificuldades na obtenção de licenças ambientais. Falando como empresário, Marcos Vinícius Donaduce relatou episódio envolvendo o Ibama, que, segundo ele, vem paralisando o setor. Conforme Donaduce, o órgão não tem condições de fiscalizar o setor, no entanto vem realizando apreensões, a seu ver, arbitrárias. Ele citou fiscais que, conforme ele, estariam promovendo perseguições aos empresários. O presidente do Sindipedras esclareceu que a posição do colega era pessoal e não representava a visão do Sindicato.

Também participaram da audiência Alírio Mallmann, representando o prefeito de Soledade; João Paulo Medeiros, do Ministério Público; Solon Duarte, coordenador do Fórum Democrático; Ivan Feloniuk, coordenador do Gead de Cadeias Produtivas do Fórum; Lelio Falcão, coordenador do Gead de Sustentabilidade Ambiental; Ivanir Lodi, presidente do Sindipedras; Leandro Tusi de Borba, relator do Gead de Sustentabilidade Ambiental; Tirone Michelin; entre outros.

Próximos eventos programados
Após as audiências desta quinta (26), em Passo Fundo, e sexta-feira (27), em Soledade, estão programados encontros nos seguintes municípios:

02/8 – Quinta-feira – Santa Maria. Tema: Turismo
03/8 – Sexta-feira – Cachoeira do Sul. Tema: Água
16/8 – Quinta-feira – Camaquã. Tema: Rochas Ornamentais
17/8 – Sexta-feira – Pelotas. Tema: Água
23/8 – Quinta-feira – Caxias do Sul. Tema: Água
24/8 – Sexta-feira – Vacaria. Tema: Fruticultura